31 de janeiro de 2014

 
 
 
81.
 
 
 
velam o teu corpo
na câmara mortuária:
aí o sol posto;
na tua fazenda, alvorada*
 
 
 


Postar um comentário